segunda-feira, 15 de outubro de 2012

AZIAL


"... trincar os beiços do animal ..."
Ver este instrumento em  madeira »»»
Peça do Nucleo museologico de Alcaria dos Javazes

 

Recordo hoje, uma palavra que ao tempo se prenunciava mais ou menos assim: -"azial".

Esta palavra  em tempos na Conceição de Faro, era usada para designar um instrumento que se utilizava para prender os beiços dos animais muares, a fim de os manter quietos quando se pretendia tosquiar, ferrar ou efectuar outra manobra que necessitasse da sua colaboração forçada.

O instrumento consistia em dois paus com 30 a 40 cm de comprimento, idênticos aos rolos usados na cozinha para estender a massa mas, com um pormenor, as suas superfícies não eram lisas mas sim sulcadas.

Numa das pontas eram unidos por duas argolas, enquanto um baraço juntava as outras duas depois de trincar os beiços do animal que desta forma ficavam selados.

Assim manietado, o animal mantinha-se dócil, se estrebuchasse era apertado um pouco mais o baraço na extremidade do azial, aumentando a dor no focinho.

Ontem á noite, numa conversa sobre o assunto que mantive com o Faustino, o Martins e o Albino, foi-me dito que nalguns lugares este instrumento era feito em ferro retorcido, tornando ainda maior a dor e a tortura que provocava nos animais.

Entretanto falei com o amigo Ludgero Urbano que se disponibilizou para me deixar fotografar  uma peça que possui no acervo do seu museu rural.

Utilizado durante muitos anos, este tortuoso instrumento foi até introduzido nas histórias populares, como aquela em que os antigos barbeiros brincavam com os clientes que nunca estavam quietos na cadeira, ameaçando: -" Não tarda nada levas com o azial ..."

Sem comentários:

Enviar um comentário

Olá amigos
Usem a caixa abaixo para escrever a Vossa mensagem de forma correta e sucinta, tratando apenas um assunto em cada comentário (mensagem).
Obrigado
JJ Rodrigues